Vereador Elias Ishy apresenta projeto de lei pela conscientização ambiental
“Junho Verde” prevê campanhas que motivem as pessoas a se transformarem em agentes ativos de desenvolvimento
Ishy acredita que as lições da pandemia de Covid-19 devem ser aproveitadas para enfrentar as mudanças no clima
Foto: Valdenir Rodrigues/CMD
24/05/2022 09:39

 

Projeto do vereador Elias Ishy, do PT, inclui no calendário oficial de eventos Dourados o “Junho Verde”, um mês inteiro dedicado à sensibilização e conscientização ambiental, para ações sustentáveis em prol do meio ambiente. A proposição vem ao encontro de várias campanhas mensais, como o Outubro Rosa e o Novembro Azul, chamando atenção para a dimensão mundial da pauta.

Cinco de junho é o Dia Mundial do Meio Ambiente, mas, segundo o vereador, “não basta realizar ações apenas nesta data, sendo necessárias campanhas de grande impacto, que mostrem as necessidades imediatas nos hábitos de vida diários, que motivem as pessoas a se transformarem em agentes ativos de desenvolvimento”.

A campanha será promovida pelo poder público municipal, em parceria com escolas, universidades, empresas públicas e privadas, igrejas e entidades da sociedade civil e incluirá as ações voltadas à conservação e ao uso de espaços públicos urbanos por meio de atividades culturais e de educação ambiental, o estímulo ao conhecimento e à preservação da biodiversidade e ao plantio e uso de espécies nativas, além de divulgar e propor debates sobre as mudanças climáticas e seus impactos nas áreas urbanas e rurais.

Ishy lembra que o Brasil foi responsável por 40% do desmatamento global em 2021, segundo dados da ONG Global Forest Watch. O país perdeu cerca de 1,5 milhão de hectares (15.000 km²) das chamadas florestas primárias, aquelas que se encontram em seu estado natural. A região conhecida como a maior zona úmida do mundo, o Pantanal, que tem uma das maiores concentrações de flora e fauna da América do Sul, também vem correndo o sério risco de colapsar.

Segundo ele, apenas decisões acertadas podem contribuir com o futuro sustentável, como da pesca, do ecoturismo, das comunidades tradicionais, da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos, por isso a importância da conservação dos ecossistemas naturais e de todos os seres vivos, do controle da poluição e sobre a degradação dos recursos naturais.

O vereador acredita ainda que as próprias lições da pandemia de Covid-19 devem ser aproveitadas para enfrentar as mudanças no clima. Fora o aumento dos incêndios e secas, que aumenta a insegurança alimentar, as altas temperaturas, poluição, entre outras situações, aumentam as doenças, como as respiratórias, bem como as transmitidas por vetores, como a dengue. “Dourados mesmo tem apresentado números alarmantes e as pessoas precisam fazer a ligação da saúde com o meio ambiente. São diretamente relacionados”, finaliza.

O projeto de lei entrou em primeira votação na sessão desta segunda-feira, 23 de maio, e deve passar ainda por mais um debate para, se aprovado, seguir para sanção do prefeito.

Texto/Fonte: Assessoria

Informativo da Câmara

Cadastre seu e-mail para receber novidades da Câmara Municipal de Dourados.