Maçons pedem volta da isenção do IPTU
Representantes de lojas maçônicas de Dourados participaram nesta quarta-feira do ‘Café com o Presidente’
Presidente Laudir Munaretto e vereadores receberam representantes de lojas maçônicas para café da manhã
Foto: Valdenir Rodrigues
14/04/2021 10:38

Representantes de cinco lojas maçônicas de Dourados participaram na manhã desta quarta-feira (14) do ‘Café com o Presidente’, espaço criado na Câmara de Dourados, na atual legislatura, para discussão de temas que predominam no dia a dia dos cidadãos, suas entidades de classe, clubes de serviços e associações diversas.

O presidente Laudir Munaretto (MDB) recebeu representantes das lojas Estrela de Dourados, 20 de Agosto, 3º Milênio e Ceres, respectivamente, Eusébio Dias Martins, Sebastião Auro Nunes dos Santos, João Bosco Sanches e Elson Luiz da Silva. Os diretores Financeiro e Jurídico da Casa, José Zani Carrascoza e Leandro Belon também participaram, além dos vereadores Juscelino Cabral, Diogo Castilho, Cemar Arnal e Fabio Luís, que representou a loja Edgard Buytendoip.

A pauta da reunião tratou, entre outros temas, do Imposto Predial e Territorial Urbano. Como instituição reconhecidamente beneficente, os maçons defendem que as lojas voltem a ser isentas do IPTU, que passou a ser cobrado a partir de 2019. Sebastião Auro cita que todas as lojas vêm pagando valores altos em IPTU, “dinheiro que deixa de ser investido nas ações beneficente, em atendimento a inúmeras entidades assistenciais”.

Alegam que as lojas têm sedes centrais, amplas instalações e o valor lançado do IPTU acaba impactando e, de certa forma, interferindo nas obras assistenciais, situação que ficou mais difícil com a pandemia de coronavírus e os decretos restritivos de enfretamento à Covid-19, incluindo a proibição de eventos promocionais que sempre foram realizados com intuito de arrecadar fundos para o trabalho assistencial às entidades.

O presidente Laudir Munaretto, que também pertence à maçonaria, destacou o trabalho que os maçons realizam, não só em Dourados como em todo o mundo, e reconheceu que a reivindicação é mais do que justa, considerando o volume de ações desenvolvidas pelas lojas maçônicas em favor das entidades beneficentes de Dourados. Disse que o tema deverá ser discutido com o executivo municipal e, em não havendo ilegalidade, será pleiteado que seja restabelecida a isenção do imposto no município.

Os demais vereadores presentes também reconheceram o valor da maçonaria, que, segundo afirmaram, “realiza um trabalho silencioso, de excelência”, e que “faz o bem sem olhar a quem”.

Dourados conta hoje com 18 lojas maçônicas. Todas prestam atendimento aos segmentos necessitados por meio de instituições como o Lar do Idoso, a Apae, a Pestalozzi, a Associação dos Autistas, a Douradow, entre outras tantas, inclusive com doações a unidades públicas de saúde.   

 

Texto/Fonte: Assessoria CMD

Informativo da Câmara

Cadastre seu e-mail para receber novidades da Câmara Municipal de Dourados.