Ishy questiona possibilidade do Executivo realizar um auxílio emergencial municipal
Vereador solicita informações sobre política de assistência social municipal e afirma que crise se aprofunda com descaso do governo federal
Ele lembra que o valor da cesta básica tem aumentado e o benefício federal foi diminuído
Foto: Valdenir Rodrigues/CMD
27/04/2021 12:53

O vereador Elias Ishy (PT) encaminhou um requerimento na sessão do dia 19 de abril solicitando informações sobre a política de assistência social em Dourados. Em um dos pontos, o parlamentar questiona se há previsão e/ou possibilidade de realizar um auxílio emergencial municipal. Ele lembra que o valor da cesta básica tem aumentado e o benefício federal foi diminuído.

Nesse período de pandemia, diante das dificuldades de tantas famílias, Ishy procurou a secretária de assistência social, Elizete Ferreira de Souza, que juntamente com as servidoras, Amarilda de Jesus Alves e Ediana Mariza Bach, apresentaram um diagnóstico da situação, as necessidades para o enfrentamento, bem como os desafios da área. A reunião foi realizada no dia nove de abril e, posteriormente, no dia 13, quando os equipamentos públicos foram apresentados a toda Câmara - vereadores/as e assessores/as.

“Ficamos sabendo pela secretária que na gestão passada, desde agosto, uma pasta tão essencial, principalmente para esse momento, ficou com 10 processos de licitação parados, que envolvem, por exemplo, cestas básicas. Diante disso, nós realizamos alguns encaminhamentos”, lembra o vereador. Ele propôs na sessão do dia 12 que a prefeitura providenciasse e divulgasse uma campanha de arrecadação de alimentos e agasalhos nos postos de vacinação e drive-thrus.

Ishy também participou de uma campanha realizada pelo partido. Atualmente, ele lamenta a volta - “ao vergonhoso” - Mapa da Fome, do qual o país havia saído em 2013. Ele lembra que o país tinha vencido essa situação nos governos Lula e Dilma, graças a política nacional de segurança alimentar implementada em 2003. “O aprofundamento dessa crise se dá ao descaso do governo federal no enfrentamento à pandemia, com políticas neoliberais e o fim do auxílio emergencial de R$ 600”, explica.

No requerimento, o vereador questiona ainda qual valor foi recebido pela Assistência Social referente à pandemia, a destinação e o quanto ainda resta em caixa. Ele também quer saber como funciona o atendimento quanto à distribuição de cestas básicas, qual o número de beneficiados e quantos deixaram de ser atendidos no período de 2020 a 2021. Além de indagar quais os impactos dos processos de licitação parados e, por fim, sobre a disponibilidade de EPIs e o planejamento para garantir tais equipamentos aos profissionais da pasta.

 

Texto/Fonte: Assessoria

Informativo da Câmara

Cadastre seu e-mail para receber novidades da Câmara Municipal de Dourados.