Elias Ishy é contrário à privatização dos Correios e apoia Sintect-MS
Para Elias Ishy, o Governo usa a estratégia de desmonte como justificativa para privatizar
Foto: Valdenir Rodrigues
05/03/2021 11:39

O vereador Elias Ishy é contrário à privatização dos Correios e encaminhou uma Moção de Apoio ao SINTECT-MS (Sindicato dos trabalhadores nos Correios, telégrafos e similares de Mato Grosso do Sul) pela luta na manutenção como empresa pública, que atua nos 5.570 municípios, cujas realidades econômicas, culturais e sociais são as mais diversas, além de destacar que é a empresa que mais emprega no país, sendo quase 300 mil postos de trabalho indiretos e 100 mil concursados.

Fora isso, Ishy relatou que a empresa provou em seus últimos balancetes um saldo positivo e que não utiliza recursos do Tesouro Nacional, portanto, se mantém com sua própria receita. “E os Correios ainda não monopolizam o sistema de entrega de encomendas, competindo com outras empresas que realizam serviços como este, mas o que diferencia é que o lucro gerado pela empresa permite que a mesma possa realizar seus serviços em lugares de difícil acesso, promovendo integração do país, onde empresas privadas muitas vezes não encontram viabilidade econômica para realizar”, afirma o vereador.

Segundo ele, é importante ressaltar que, em um universo de 270 países, entre desenvolvidos e emergentes, apenas oito têm serviços dos Correios privatizados. Portugal e Alemanha, de acordo com informações, já começam a discutir a reestatização do serviço, que decepcionou após a privatização. A Argentina passou pelo mesmo processo e retomou o trabalho após queixas da população.  Para o parlamentar, o Governo usa a estratégia de desmonte como justificativa para privatizar.

Para Ishy, isso representa o risco concreto de fechamento de agências em diversos municípios, especialmente nas localidades que mais dependem para receber objetos essenciais, como remédios, hemoderivados, livros didáticos, emissão de CPF, e outros não atrativos para a iniciativa privada. “Em muitos locais, são a única opção para que  a população tenha acesso a serviços bancários, uma vez que atuam em parceria com o Banco do Brasil, possibilitando desta forma que aposentados, beneficiários de programas sociais e a população carente tenha acesso aos seus recursos”, finaliza.

Texto/Fonte: Assessoria

Informativo da Câmara

Cadastre seu e-mail para receber novidades da Câmara Municipal de Dourados.