Bebeto articula reunião entre líderes religiosos e Comitê de Gerenciamento do Covid-19
Vereador Bebeto defende a flexibilização de atividades religiosas no município
Foto: João Pires
17/04/2020 12:35

Representantes de igrejas evangélicas e católicas participaram de uma reunião hoje (17) pela manhã no CAM (Centro Administrativo Municipal), entre vereadores e membros do Comitê Técnico de Gerenciamento de Crise do Coronavírus, onde foram debatidos assuntos relacionados ao decreto do Executivo que restringe a realização de atividades religiosas no município de Dourados.

O encontro foi sugerido pelo vereador Bebeto (PTB) que levou ao conhecimento da prefeita Délia Razuk (PTB) o pedido de lideres de denominações evangélicas e católicas que defendem a flexibilização do decreto, permitindo com ressalvas a realização de cultos.

Bebeto afirmou que as igrejas têm um papel fundamental na sociedade, e sempre colaborou com os gestores públicos em todas as esferas políticas, com seus ensinamentos que orientam e defendem a saúde pública, como exemplo no tratamento de dependentes químicos. “A igreja tem se tornado um aliado forte aos nossos governantes. E neste momento grave da propagação do Covid-19 a mesma terá o seu papel como aliado na Saúde pública”, disse.

Em sua fala Bebeto ainda defendeu a abertura das igrejas, porém seguindo as orientações preventivas, como o distanciamento social durante os cultos e a alternância de membros, reduzindo o fluxo de pessoas em cada reunião.

Para o pastor Nilson Costa, presidente da Assembleia de Deus – Ministério do Belém, o momento é de cautela, porém, as igrejas devem manter suas portas abertas para atender aqueles que procuram auxilio espiritual neste período de crise. “A ovelha precisa do aprisco e nós não podemos ser omissos. É preciso buscar alternativas, respeitando todas as determinações relacionadas às medidas de prevenção”, considerou.

Já o pastor Marcos Coca, presidente do Conped (Conselho de Pastores Evangélicos de Dourados) considera cedo a realização em grupo de atividades religiosas, tendo em vista o ápice da contaminação. “A igreja não deixa de ser igreja por falta de cultos. Igreja não são templos, mas sim pessoas”, comentou.

De acordo com o médico Frederico Oliveira, membro do Comitê de Gerenciamento do Covid-19, todas as medidas que envolvem a saúde pública do município, são pautadas por decisões técnicas e alertou quanto as formas de contágio do Coronavírus. Ele se comprometeu em levar ao conhecimento do Comitê a preocupação dos líderes religiosos e consequentemente à prefeita Délia.

Também participaram da reunião, o procurador do município, Sergio Henrique e os vereadores, Alan Guedes, Braz Melo, Sérgio Nogueira e Junior Rodrigues.

Texto/Fonte: Assessoria

Informativo da Câmara

Cadastre seu e-mail para receber novidades da Câmara Municipal de Dourados.