Atraso nos pagamentos e falta de condições de trabalho podem levar médicos do HV a suspender atendimentos, alerta Lia 
Lia Nogueira manifestou apoio à luta dos médicos contratados pela Fundação de Saúde de Dourados
Foto: Assessoria
02/12/2021 08:12

 

A vereadora Lia Nogueira  (PP), que também preside a Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Dourados, declarou apoio ao movimento dos médicos especialistas do HV (Hospital da Vida). O grupo realizou nesta quarta-feira (01), em frente a unidade hospitalar, um manifesto silencioso, mas marcado pela indignação. Os profissionais lotados no HV por meio de contratos com a Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados), que administra o hospital e a UPA (Unidade de Pronto Atendimento Médico), estão há três meses sem receber salários.

Os pagamentos são feitos aos profissionais por meio de empresas constituídas por eles, ou seja, os médicos recebem pelos serviços prestados na condição de pessoas jurídicas. O problema é que a Funsaud não tem honrado com o compromisso do pagamento de forma regular e também não sinaliza para nenhum tipo de negociação, protestam os médicos.

Não bastasse o atraso nos pagamentos, o grupo ainda alega falta de condições mínimas de trabalho. De acordo com os especialistas lotados no HV, faltam insumos e medicamentos imprescindíveis para o atendimento aos pacientes do SUS. Um dos médicos que participaram do manifesto desta quarta-feira relatou que não há sequer macas suficientes para acomodar os pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde). Ele disse também que faltam fitas de glicemia, fios para realizar sutura, além de remédios indicados para tratamento de pacientes com quadro grave de saúde.

Com 16 especialidades e considerada uma unidade hospitalar de portas abertas, o HV atende pacientes de Dourados e mais 30 municípios da região. “A cobertura em saúde pública de média e alta complexidade pode ficar comprometida”, alertou Lia Nogueira. Segundo a vereadora, diante das condições precárias de trabalho e com pagamentos em atraso, caso os médicos especialistas resolvam suspender o atendimento aos pacientes do SUS, a administração municipal terá de se responsabilizar por mais esse cenário de caos na rede pública de saúde de Dourados.

Lia Nogueira fez questão de destacar o empenho e dedicação dos profissionais de diversas especialidades que em meio a tanta precariedade têm salvado vidas. "O que esses médicos têm feito aqui no Hospital da Vida vai além de um atendimento em saúde de forma humanizada; eles têm sido verdadeiros heróis. Mas o mais grave disso tudo é ver profissionais se desdobrando, trabalhando sem qualquer estrutura, correndo riscos e sem ter direito a receber seus pagamentos em dia. O mínimo para quem trabalha, independentemente de qual seja a função é receber sem atrasos, isso é uma questão de dignidade", destacou Lia.

Em busca de respostas e soluções para o problema dos médicos do HV, a vereadora foi informada pelo secretário de Saúde de Dourados, Waldno Pereira de Lucena Junior, que o município, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, já fez todos os repasses desta competência à Funsaud. Conforme ainda o secretário, não cabe a Secretaria Municipal de Saúde os contratos da Fundação. Já a Secretaria Estadual de Saúde garante que os repasses para a Saúde de Dourados têm sido feitos rigorosamente, sem atrasos.

Como vereadora e presidente da Comissão de Saúde da Câmara, Lia Nogueira, irá encaminhar ofício nesta quinta-feira (02) em regime de urgência junto à direção da Funsaud. A vereadora também vai oficiar o parlamento municipal. A ideia é fazer com que a Casa de Leis conceda espaço aos médicos do HV para expor a atual situação de modo a intervir na busca de soluções para este impasse.

 

Texto/Fonte: Assessoria

Informativo da Câmara

Cadastre seu e-mail para receber novidades da Câmara Municipal de Dourados.